Empresas catarinenses mantêm o otimismo com exportação


Fonte: Diário Catarinense 

 O câmbio favorável às exportações e o reaquecimento da economia internacional parecem motivar os empresários catarinenses a olhar com entusiasmo para as perspectiva de comércio exterior. De acordo com a Análise do Comércio Internacional Catarinense 2017, que será apresentada nesta terça-feira na sede da Fiesc, 92% das empresas consultadas pretendem aumentar a participação nos mercados em que atuam ou abrir novos mercados e entre esse e o próximo ano. O documento informa também que de 2015 para 2016, a participação das exportações no faturamento aumentou para metade das empresas ouvidas (50,5%). Para 26,7% os embarques mantiveram-se estáveis e para 22,8% foi menor. 

 Para Glauco José Côrte, presidente da Fiesc, o Estado vem continuamente ganhando espaço no comércio exterior. Apesar de ter apenas 1% do território nacional e o sexto maior PIB, representa 4,1% das exportações e 7,5% das importações no país. O desafio ainda é avançar na participação de produtos com alto valor agregado embarcados para o exterior: 

 Ainda que o montante seja significativo, 51% dos produtos exportados em 2016 eram de baixa tecnologia, concentrados em bens de consumo e intermediários, e apenas dez produtos respondiam por 60,5% da pauta exportadora. Conhecer esse perfil é fundamental para delinear as expectativas futuras e ajudar a criar políticas públicas para estimular o comércio internacional.