Em reunião com Temer, coalizão de 10 setores defende Reintegra de 5%

Fonte: O Globo

Fortemente afetadas pela recessão, associações que representam dez setores da indústria de transformação — de calçados a máquina e equipamentos — formaram uma coalização e levaram proposta ao presidente Michel Temer, há duas semanas, para elevar o percentual do Reintegra, sistema pelo qual exportadores recebem de volta parte de impostos indiretos cobrados ao longo da cadeia produtiva. A lei permite devolução de até 5% da receita com as vendas externas, mas a alíquota está em 2%. Os empresários reivindicam o teto.


Participam da coalização entidades como Anfavea, que reúne a indústria automotiva, Instituto Aço Brasil, que reúne as siderúrgicas, e Abimaq, de máquinas e equipamentos. Juntos, os dez setores — que abrangem ainda eletroeletrônicos, produtos químicos, entre outros — respondem por 48,5% da produção e 68,5% das exportações da indústria de transformação.


Os empresários sustentam que o aumento da alíquota do Reintegra ampliará a competitividade da indústria, cujo nível de produção voltou a 2009. Lembram ainda que o mecanismo existe em outros países, como Argentina e China, além de ser permitido pela Organização Mundial do Comércio (OMC), pois não configura subsídio.


(Leia na íntegra)