Crise não afeta imagem do Brasil na Gulfood


Fonte: ANBA

Os problemas econômicos e políticos do Brasil não afetam a imagem do País no comércio de alimentos e bebidas no Oriente Médio. A avaliação é de Mark Napier, diretor da Gulfood, maior feira do setor na região, que acontece até o dia 25, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

“O comercio é apolítico. Os empresários (vendedores) têm uma exigência muito simples. Eles querem encontrar os clientes certos e querem vender pelo preço certo. Os compradores têm a mesma motivação. Eles querem encontrar o produto certo pelo preço certo. Seja o que estiver acontecendo no mundo no momento, estou feliz em dizer que está muito longe de afetar uma feira de negócios que produz vendas de bilhões de dólares, e isso deve continuar”, afirmou Napier sobre o tema. O executivo concedeu entrevista exclusiva à reportagem da ANBA nesta segunda-feira (22).

Além não acreditar que a crise interna mexa com os negócios do Brasil na região, Napier ainda destacou o tamanho e o funcionamento do pavilhão nacional na feira. “Vamos olhar o pavilhão fantástico do Brasil aqui. Temos 714 metros quadrados de espaço, com 86 empresas participando este ano. Mas o interessante é que há 400 metros quadrados na parte superior (do pavilhão), tal é a demanda por espaço de exposição e tal é a demanda para encontrar um espaço no chão para receber os grandes compradores”, apontou. O pavilhão brasileiro tem dois andares.