Comércio exterior: CNI defende fim da cobrança ilegal do rastreamento de contêineres

Fonte: Comex do Brasil

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou 27 propostas para facilitar o comércio exterior durante a primeira reunião do Subcomitê de Cooperação do Comitê Nacional de Facilitação de Comércio, co-presidido pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e o Ministério da Fazenda, com o setor privado.  A reunião ocorreu na sede da CNI em Brasília, na última sexta-feira (5).

As propostas fazem parte de uma ampla consulta com empresas exportadoras e associações empresariais. As indústrias querem, entre outros, o fim da cobrança ilegal da tarifa de escaneamento de contêineres. Atualmente, há uma duplicidade de cobrança para um mesmo serviço. A chamada “inspensão não-invasiva” já é paga dentro da cesta de serviços correlatos  recolhida pelos terminais portuários.

“Para o setor privado é muito importante que o CONFAC seja o principal instrumento para avançarmos na agenda de facilitação de comércio”, diz a gerente de Política Comercial da CNI, Constanza Negri.

(Leia na íntegra)