Acordo entre Mercosul e Colômbia zera tarifas de importação têxtil e outros produtos

Fonte: Assintecal 

A comitiva que esteve em viagem oficial à Argentina, durante a Reunião do Mercosul em que o Brasil assumiu a presidência temporária do grupo, voltou com um importante acordo comercial na bagagem. O governo brasileiro firmou no dia 21 de julho, em Mendoza, na Argentina, o Acordo de Complementação Econômica (ACE) entre o Mercosul e a Colômbia que reduzirá a zero as tarifas de importação de 97% dos itens da pauta comercial, a partir de janeiro de 2018. Segundo o ministro Marcos Pereira, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o novo instrumento permite o cancelamento das alíquotas de impostos de importação aplicada aos setores têxtil, automotivo e siderúrgico. “Este acordo vai beneficiar as exportações brasileiras porque melhorará as condições de acesso do Brasil ao mercado colombiano e outros países”, disse.

A Colômbia é o terceiro maior mercado da América do Sul e sua indústria de moda vem se fortalecendo nos últimos anos. Segundo pesquisa apresentada pela Euromonitor em 2015, de 2009 a 2014, a Colômbia teve um crescimento de 5,5% em volume de vendas no setor de vestuário e calçados, maior que do México (4,9%), Brasil (3,3%) e Argentina (3,4%). Com a nova política anti-imigração dos Estados Unidos, que tem afetado diretamente o México, a Colômbia, que depois do Brasil é o principal produtor têxtil sul-americano, pretende aproveitar a oportunidade para expandir suas exportações de vestuário para o mercado norte-americano. A indústria têxtil brasileira, por sua vez, poderá se beneficiar da plataforma colombiana de confecções, aumentando a comercialização de tecidos, aviamentos e outros insumos.  Segundo Inexmoda – Instituto para Exportação e Moda da Colômbia, os principais produtos colombianos exportados para os EUA são moda praia, roupa esportiva, moda íntima e jeanswaer, que recentemente vem despertando o interesse dos compradores norte-americanos.


(Leia na íntegra)